FIQUE POR DENTRO

Cadastre-se abaixo e receba as todas as novidades do Vestida de Mãe!

JÁ SOU CADASTRADO(A)

Varandoteca

A palavra varandoteca não faz parte do nosso dicionário, mas foi assim que apelidei carinhosamente este projeto especial! Nada mais é do que um espaço que mistura varanda e brinquedoteca e estimula a convivência de toda a família em um ambiente lúdico e acolhedor.

Os pais da Olívia já haviam me contratado para fazer o quarto dela (veja o post aqui) e gostaram tanto do processo e do resultado que me pediram para alterar também o ambiente da varanda. Eles queriam aproveitar mais o espaço existente que era pouco utilizado e criar um ambiente para as filhas poderem brincar (na época que iniciei o projeto a mãe da Olívia havia acabado de descobrir que estava grávida novamente!). Desta forma, o espaço seria mais do que bem-vindo para as duas irmãs!

A varanda é bem comprida e é dividida em dois ambientes: uma área de refeições onde fica a mesa de jantar e a área logo em frente à sala de estar onde havia um banco de madeira, vasos de plantas e uma pérgola de madeira com outras plantas. Não havia uma integração entre os dois ambientes e a área mais utilizada era a de refeições. E todo o espaço que sobrava estava sem uso, pois os vasos de plantas ocupavam uma parte da circulação e o único banco estava isolado na outra extremidade da varanda.

Como o espaço será utilizado por crianças e adultos, a minha maior preocupação era não deixá-lo tão infantil que parecesse um parque de diversões, mas nem tão sóbrio que não atraísse as crianças. As plantas existentes ajudaram a equilibrar as cores que propus e também deram um toque mais acolhedor para o ambiente.

Não foi necessário muita intervenção e sim organizar o que já existia e integrar os espaços. O layout e mobiliário da área de refeições permaneceu como estava, mas ganhou uma pintura super colorida na parede (foi ideia da moradora e eu amei o resultado!) feita pelo artista Marcos Ramos, conhecido por Enivo. O busy board da Olívia foi fixado na parede para que ela possa se distrair enquanto os pais estão fazendo as refeições.

Os vasos grandes ganharam um novo destino: três deles foram para o sítio da família e um foi para a extremidade da varanda. Desta forma, a circulação ficou livre. Desenhei um banco baixinho para que o marceneiro pudesse executar e este móvel serve para acomodar toda a família e também para que as crianças e bebês consigam acessá-los sozinhas e não ter risco de queda. O banco existente também foi para o sítio, pois era alto e o formato em L atrapalhava o layout.

A grande sensação da varandoteca é o piso de grama artificial, que parece grama de verdade! Além de estimular a parte sensorial dos bebês e crianças, ela também é ótima para que as crianças possam ficar descalças e não ter problema com chão frio. E ainda possui estabilidade UV que evita que o sol a desbote.

A pérgola, que antes ficava no meio da varanda, foi deslocada e agora funciona como divisória entre a área de refeição e brincadeiras e também faz a delimitação entre o piso de grama artificial e o porcelanato existente.
Desta forma, o espaço de brincadeiras ficou mais amplo e mais iluminado.

A mesinha de atividades faz sucesso com a Olívia e é um ótimo modelo, pois tem regulagem de altura e também encaixe para os potinhos de lápis. O banco de monstrinho foi presente de uma amiga e acomoda mais uma criança ao redor da mesa.

A cabaninha de tecido tem formato de foguete e várias almofadas super macias para que crianças e também adultos possam se divertir! Os cestos de brinquedos são de tecidos e foram comprados em uma viagem. São práticos para acomodar os brinquedos, esconder a bagunça e estimular a organização das crianças.

Gostaram do resultado? Eu amei! A mamãe da Olívia me contou que a pequena está amando o novo espaço e tem se divertido demais. E agora com a chegada da mais nova integrante da família é que este espaço será ainda mais utilizado!

Relações profissionais

Projeto de Arquitetura de Interiores: Izabella Penna Escabeche | Decor Petit
Fotógrafa: Priscila Furuli
Pintura artística: Marcos Ramos (Enivo)
Grama Artificial: Interfloor
Cabaninha de tecido e almofadas: Nanda Corrêa (A mamãe urso)

Mesinha de atividades: Kaloré
Banco de monstrinho: Ju Amora
Banco baixinho: desenho Decor Petit e execução marcenaria Belmon
Busy board: Três Tes
Cestos de brinquedo: 3 Sprouts

CONVERSE COM A GENTE

Brincadeira com Bebê de 0 a 3 meses | Olha o meu dedo!

Brincadeira de 0 a 3 meses – “Olha o meu dedo!”

Eu acho mágico como os momentos mais simples são ao mesmo tempo importantes para as conexões cerebrais do bebê. Essa brincadeira simples fortalece as mãos e dedos do bebê. Coloque-o olhando para você. Coloque seu indicador na frente do rosto do seu bebê. ele provavelmente vai segurar seu dedo, pois este é um reflexo natural dos recém-nascidos. Toda vez que ele segurar seu dedo, diga palavras positivas como “que bebezinho maravilhoso!” ou “nossa, que força!”. Essa brincadeira também ajuda a desenvolver a capacidade de seguir os objetos com os olhos.

O que diz a pesquisa cerebral: O simples fato de estender a mão para pegar um objeto desenvolve a coordenação entre mão e olho.

{Conteúdo do livro 125 brincadeiras para estimular o cérebro do seu bebê, de Kackie Silberg} | Foto Rejane Wolff

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE

Brincadeira com Bebê de 3 a 6 meses | Mudar de mão

Brincadeira de 3 a 6 meses – “Mudar de mão”

Entre 3 e 6 meses, seu bebê pode começar a passar um objeto de uma mão para outra. Você pode ajudar a fortalecer os circuitos nervosos no cérebro praticando com o bebê esta brincadeira: ponha um chocalho numa de suas mãos. Sacuda a mãozinha que segura o chocalho. Mostre-lhe como transferir o chocalho para a outra mão. Os passos são os seguintes: ponha a mãozinha vazia em cima do chocalho. O bebê vai segurá-lo automaticamente. Solte os dedos da primeira mão e beije-os.

O que diz a pesquisa cerebral: Aprender a transferir objetos de uma mão para a outra exige atenção consciente. Embora os movimentos das mãos sejam influenciados pelo tato e pela visão, eles têm de ser aprendidos e, por isso, têm uma relação íntima com o desenvolvimento cognitivo.

{Conteúdo do livro 125 brincadeiras para estimular o cérebro do seu bebê, de Kackie Silberg} | Foto Rejane Wolff

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE