Atualidades: novas recomendações de ácido fólico

Por: Natalia Vignoli

Até algum tempo, era protocolo suplementar as gestantes e mulheres que planejavam engravidar com ácido fólico em dosagens de 5mg ao dia, garantindo a adequada formação do bebe, principalmente no fechamento do tubo neural.

De fato, como já comentei antes, nos anos 80 foram constatadas anomalias na formação do feto em virtude da deficiência de folato, iniciando políticas públicas de fortificação de farinhas de trigo e milho com ácido fólico, além da suplementação para mulheres. Hoje a história é outra, e ouso dizer, polêmica!

O ácido fólico faz parte da família de vitaminas do complexo B! Até chegar na B9 temos: B1, B2, B3, B5, B6, a famosa B9 (ácido fólico), B12. Todas trabalham em conjunto e a falta ou excesso de uma delas interfere nas demais.

Suplementar uma mulher em idade fértil apenas com ácido fólico é bastante controverso. A gestação pode acontecer em 1 mês, 2 meses, 3 meses, 1 ano, enfim, cada um tem o seu tempo e ficar tomando suplementos vitamínicos por tempo indeterminado não é indicado!

E digo mais… Os famosos enjoos do primeiro trimestre, principalmente quando acontecem ao longo do dia (e não só pela manhã), são bastante conhecidos por serem originários do excesso de ácido fólico.

Quer saber o mais curioso? O medicamento popular que usamos para combater náuseas, nada mais é do que a vitamina B6 em doses super altas!!! Começa a fazer sentido que o complexo B deve estar presente como um todo certo?

Vale ressaltar que o fechamento do tubo neural acontece bem no início da gestação, por volta do 28º dia de gestação, logo na descoberta da gravidez, motivo pelo qual muitas mulheres iniciam a ingestão de B9 antes de engravidarem. Contudo, alguns estudos mostraram que a suplementação de 5mg da vitamina, isolada, antes da gestação e por um período prolongado pode trazer alguns prejuízos, dentre eles alergias e prematuridade.

O ideal para mulheres que decidam engravidar, no que tange a nutrição, é fazer uma preparação, adequando todas as vitaminas, e não apenas o ácido fólico, muito menos em dosagens altas e isoladas! Claro que ele é importante, mas é muito mais efetivo dentro de um conjunto de vitaminas, com uma prescrição individualizada!

Adicionalmente, deixar os exames em ordem e claro, tratar de comer bem! Além disso – e tão importante quanto – é relaxar e aproveitar o momento!

Colunista_Natalia

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE