Conversando sobre Infertilidade

Por: Dra. Camila Takase

Está há mais de 1 ano tentando engravidar e não consegue? Já está na hora de procurar seu médico para uma avaliação!

A dificuldade de engravidar é uma queixa cada vez mais frequente nos consultórios, pois atualmente as mulheres estão deixando para engravidar cada vez mais tarde. A fase ideal para engravidar é entre 25 a 30 anos, período mais fértil e com maiores chances de sucesso. A partir desse período a fertilidade feminina vai caindo.

Estima-se que cerca de 15% dos casais em idade reprodutiva sejam inférteis. Dentre os fatores que levam a infertilidade, 40% dos casos ocorrem por alterações na mulher, 30% nos homens, 20% em ambos e cerca de 10% não tem causa aparente.

Dentre os fatores femininos podemos destacar :

Alterações ovulatórias ( Síndromes dos ovarios policísticos, disfunções hormonais, idade maior que 40 anos)

Alterações anatômicas (obstrução tubárea, pólipos endometriais, miomas submucosos, cicatrizes ou sinéquias uterinas, ausência de útero)

Endometriose (pode alterar tanto a ovulação quanto a anatomia feminina)

Nos homens podemos ter alterações na produção (pouca quantidade, alterações na forma e motilidade dos espermatozóides), transporte (vasectomia ou auseência dos ductos deferentes) e ejaculação (impotência).

Para saber a causa da infertilidade e consequentemente tratá-la, o casal deverá ser submetido a alguns exames. O espermograma é o principal exame masculino e serve para mostrar a quantidade e qualidade dos espermatozóides. Dosagens dos hormônios, ultrasson transvaginal, histerossalpingografia são exames solicitados para avaliação dos fatores femininos. A avaliação do muco cervical e teste pós coito também podem ser incluídos. Em alguns casos(suspeita de endometriose avançada) a ressonância nuclear magnética  também pode auxiliar no diagnóstico.

A boa notícia é que o tratamento cirúrgico (retirada dos pólipos, miomas, aderências, reversão da laqueadura ou vasectomia) e/ou a utilização das técnicas de reprodução assistida  traz bons resultados na maioria dos casos. Pode ser realizada a indução da ovulação com coito programado, a inseminação intrauterina artificial e a fertilização in vitro, dependendo da causa da infertilidade do casal. Atualmente as taxas de sucesso desses tratamentos estão cada vez mais elevadas, girando em torno de 40% nas fertilizações in vitro.

Vale a pena ressaltar que nas paciente com mais de 35 anos, não é necessário aguardar um período de 1 ano para iniciar a investigação da infertilidade.  Nesses casos, após 6 meses de tentativas sem sucesso a investigação do casal já deve ser iniciada.

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE