Entendendo a Síndrome dos Ovários Policísticos

Por: Dra. Camila Takase

A Síndrome dos Ovários Policísticos, ou anovulação crônica, acomete cerca de 5 a 10% das mulheres em idade reprodutiva. É caracterizada por alterações menstruais, hormonais e imagens de microcistos localizados nos ovários ao ultrassom.

A mulher com a Síndrome não ovula regularmente, resultando em ciclos menstruais irregulares e em alguns casos, ausência de menstruação. Devido ao aumento dos hormônios masculinos, principalmente a testosterona, alterações na pele da face como aparecimento de acne, aumento da oleosidade e crescimento de pelos são comuns.

No consultório de ginecologia, a irregularidade menstrual é a principal queixa das pacientes. Algumas vêm encaminhadas do dermatologista devido às alterações da pele, outras do endocrinologista devido à obesidade e alterações menstruais.

 A dificuldade para engravidar também é uma queixa muito frequente. Por terem ciclos irregulares, muitas pacientes com ovários policísticos necessitam de tratamento medicamentoso para induzir a ovulação, com excelentes resultados. Estima-se que cerca de 30% dos casos de infertilidade podem estar relacionados à Síndrome.

É através de uma avaliação clínica detalhada (de acordo com as queixas da paciente), associada a exames laboratoriais (para verificar alterações hormonais) e de ultrassonografia (presença ou não de cistos nos ovários) que podemos fazer o diagnóstico e tratamento corretos.

Nos casos leves, apenas mudanças no estilo de vida (prática de atividade física regularmente, dieta equilibrada, perda de peso) são suficientes para a melhora dos sintomas.  Muitas pacientes obesas ou com sobrepeso voltam a ovular após emagrecerem. Em outros casos, o tratamento medicamentoso deve ser associado para atingir melhores resultados.

O uso de anticoncepcionais, para as pacientes que não desejam engravidar, é o mais utilizado. Ocorre uma melhora importante na pele, os ciclos menstruais ficam regulares e o aspecto de “ovários micropolicísticos” desaparece.

Para aquelas com dificuldade de engravidar, medicações indutoras de ovulação podem ser utilizadas. O uso da metformina (medicamento geralmente utilizado no tratamento do diabetes) auxilia no controle metabólico das pacientes, trazendo benefícios ao tratamento.

Consulte sua ginecologista.

Camila_T

 

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE