Grávidas: cuidados especiais no verão

Por: Dra. Camila Takase

Com esse tempo quente (o verão no Brasil em 2013 vai até 20 de Março), cuidados redobrados com a alimentação e com o corpo são fundamentais para as futuras mamães!

Durante o verão aumenta bastante a queixa das gestantes de inchaço nos membros inferiores. Muitas relatam que não conseguem nem calçar os sapatos de tão inchados que estão os pés!!

Isso acontece pois nos dias quentes, ocorre uma dilatação maior dos vasos sanguíneos, fazendo com que o sangue circule de forma mais “lenta”, facilitando o extravasamento de líquido dos vasos para os tecidos (chamado de edema). Os membros inferiores são os mais afetados, principalmente nas gestantes a partir do quinto mês, quando o útero já está maior e começa a dificultar o retorno do sangue que está nos pés para o coração. Podemos notar que esse inchaço piora progressivamente ao longo do dia, intensificando-se no final da tarde e à noite. É o chamado edema gravitacional.

Apesar de intensificar-se durante o verão, o inchaço pode afetar as grávidas durante toda a gestação, isso porque na gravidez temos um aumento de até 50% no volume de sangue circulante. Além disso, alterações hormonais como o aumento da progesterona, provocam uma dificuldade na circulação e na drenagem linfática, contribuindo ainda mais para o aparecimento do edema.

O que pode ser feito para amenizar o inchaço?

1) Cuide da sua alimentação

Utilize pouco sal na dieta. Ele é um dos maiores culpados pelo inchaço na gravidez. Outros alimentos ricos em sódio também devem ser evitados (salame, lingüiça, salsicha, sanduíches “fast food” e os temperos prontos).

Atenção, muitas gestantes deixam de beber água com medo de piorar o inchaço, porém isto está errado!!! Quanto mais líquidos a gestante ingerir, melhor!!!

2) Exercite-se

Exercícios físicos, principalmente aqueles feitos na água como hidroginástica e natação,  ajudam a reduzir o inchaço. A água exerce pressão no espaço extra-vascular, favorecendo a entrada de líquidos nos vasos sanguíneos e linfáticos, melhorando a circulação.

3) Use meias elásticas

Muitas gestantes dizem que as meias incomodam, esquentam e a maioria acaba deixando-as de lado, mas as meias elásticas de compressão específica são muito importantes. O objetivo é pressionar as paredes das veias periféricas, não permitindo o extravasamento de líquido para os tecidos, diminuindo o acúmulo de água nas pernas e pés. O uso das meias deve ser diário, desde o início da gravidez até o período pós parto.

4) Pernas para cima

Esta é a solução mais antiga e prática para o problema. No fim do dia é recomendável que a gestante coloque as pernas para o alto, com o objetivo de facilitar o retorno do sangue das pernas para o coração. Se estiver no trabalho, ela pode colocar as pernas numa cadeira ou qualquer apoio, mantendo os pés ao mesmo nível do quadril. Em casa, a grávida pode deitar e acomodar as pernas em dois ou três travesseiros, para elevar os pés.

5) Drenagem linfática

Quando aplicada de maneira adequada, a massagem é uma aliada importante da gestante pois ajuda a melhorar a circulação, diminuindo o edema. A drenagem linfática deve ser feita por profissional capacitado pois apresenta restrições durante a gravidez: a região abdominal não deve ser massageada, os movimentos devem se concentrar nos braços, pernas, costas e glúteos e as sessões só devem iniciar após o terceiro mês de gestação.

Sinais de alerta

Quando o inchaço vier acompanhado de outros sintomas, principalmente hipertensão arterial, temos que ficar atentos com algumas doenças graves, como a pré-eclâmpsia e/ou eclâmpsia. Nesses casos o inchaço geralmente é generalizado, a gestante fica hipertensa e dependendo da gravidade do quadro temos que antecipar o parto para evitar complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.

Gestantes com problemas cardíacos, quando estão descompensados, também podem apresentar edema importante nos membros inferiores. Fiquem alertas!

Camila_T

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE