Dicas sobre a amamentação – parte 4

Hoje, para encerrar os posts sobre as dicas na amamentação, vamos falar sobre o leite materno e a livre demanda!

As antigas orientações sobre a amamentação eram de mamar a cada três horas e 20 minutos em cada seio. Hoje sabemos que essas orientações estão ultrapassadas. Limitar o tempo do bebê em cada seio evita que o bebê esvazie as mamas e isso pode comprometer o ganho de peso.

O nosso leite começa bem aguado e claro e termina mais amarelado e grosso, isso acontece porque no início da mamada, o leite que sai tende a hidratar mais o bebê, é um leite rico em água. Já no final, o leite é mais rico em gordura, tendo a função de engordar o filhote!

Muitos bebês não ganhavam peso justamente por não chegarem a mamar esse leite mais gorduroso, chamado de “leite posterior” e acabavam sendo suplementados desnecessariamente. Era aí que o mito do leite fraco vinha com toda força! Portanto atente-se a ingestão desse leite, ou seja, prefira dar uma mama por mamada e perceba se a mama está vazia no final da mamada!

A amamentação deve acontecer em livre demanda e, inicialmente é comum que o bebê mame mais vezes e em menor quantidade. Isso acontece porque o seu estômago é muito pequeno, aceitando cerca de 50ml na primeira semana de vida, mas ao passar dos dias, já com 1 mês, é capaz de aceitar cerca de 100ml. Além disso, mesmo em livre demanda, o bebê vai se ajustando e acaba criando uma certa regularidade e um leve padrão nas mamadas.

Uma dica importantíssima para uma boa qualidade de mamada e uma boa produção de leite: durma e descanse! Isso vai acontecer quando o seu bebe deixar! Ainda sim, não tem problema! Sincronize seu descanso com o dele. Uma mãe descansada amamenta melhor e produz mais leite.

Aliás, mães que por qualquer razão começam a ter uma baixa produção de leite, não precisam correr para o leite em pó. A estimulação com bombinhas, o uso da técnica de relactação e a correta orientação de um profissional especializado pode normalizar a produção.

Agora se as dificuldades persistirem ou aumentarem existem muitos profissionais atualmente que trabalham com aconselhamento em aleitamento, enfermeiras, doulas e fonoaudiólogas. Não hesite em procurar ajuda desde o início! Entenda o seu limite e a sua disponibilidade, se respeite e saiba que a amamentação é acima de tudo um aprendizado repleto de persistência!

Colunista_Natalia

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE