O primeiro trimestre da gestação

Vou confessar uma coisa… Acho que durante o primeiro trimestre eu ainda não estava me sentindo tão grávida! Parecia que “a ficha não tinha caído”, talvez por dois motivos: eu guardei segredo sobre a gravidez para os amigos, então por 3 meses não conversei sobre o assunto com ninguém; E segundo porque até a 18° eu ainda não tinha barriga de gravidez, eu só estava me sentindo “gordinha”, rs! (a foto acima já é na 18° semana, segundo trimestre!).

Já aprendi que cada gravidez é de um jeito, cada mãe é de um jeito, cada corpo é de um jeito, não vivo em “certos e errados”. Para mim, o primeiro trimestre foi assim:

Enjoos
Fui enganada, me falaram que seria apenas nos três primeiros meses, rs!! Controlada e planejada do jeito que sou, achei que iriam completar 12 semanas e os enjoos automaticamente iriam parar. O fato é que estou com 19 semanas e ainda sinto enjoos. Estão diminuindo, é verdade. Mas pelo menos por 15 semanas, eram diários, todas as manhãs, ao acordar.

Li várias dicas sobre deixar biscoitos de água e sal ao lado da cama, para comer logo que acordar e assim tentar diminuir os enjoos. Mas essa dica não vale para mim porque tomo remédio para tiróide ao acordar e é necessário 30 minutos de jejum antes de comer alguma coisa. Enfim, por 3 meses cheguei atrasada todos os dias ao trabalho porque o processo de “acordar – passar mal – me recuperar – me arrumar” ficou bem demorado. Mas faz parte e até ficava feliz por estar enjoado, afinal é reflexo das mudanças no corpo durante a gravidez.

Sono
Lidar com o sono foi mais complicado. Eu sou uma pessoa que dorme pouco. Não sei se vocês sabem, mas não sou dedicada exclusivamente aos blogs. Também tenho outro trabalho fixo em horário comercial. Ou seja, resumindo, meu dia é trabalhar no escritório do trabalho fixo em horário comercial, frequentar eventos relacionados aos blogs, reuniões com parceiros ou com minha equipe do blog no fim da tarde, responder todos os e-mails, comentários e fazer os posts a noite, e além disso também cuidar do marido, da casa, da reforma no apartamento novo, fazer ginástica, compras no mercado etc, etc, etc. Sou daquelas ligada nos 220V que faz mil coisas ao mesmo tempo. O sono então foi um “tapa na minha cara”.

Chegar em casa no fim da tarde e ter vontade de dormir acabou com meu planejamento diário. E-mails ficaram atrasados, projetos paralelos suspensos, não consegui fazer todos os posts que gostaria no blog. Mas entendo que o sono é um aviso do corpo para desacelerar, para cuidar do corpo e do bebê, para guardar energias para o desenvolvimento do bebê dentro da gente. Então se eu sentia sono, ia dormir (OK, nem 100% das vezes porque tenho os compromissos profissionais, mas me esforcei para dormir mais, rs!).

Alterações no Corpo
Se tem uma coisa que denunciava minha gravidez era o tamanho dos seios! Gente do céu, ficaram gigantes desde o começo. Eu já tinha seios grandes, então ficaram gigantes mesmo, eu estava (estou) me sentindo quase uma mulher-melancia!

Já meu paladar, não alterou em nada! Apesar dos enjoos matinais, não tinha nada que pelo cheiro ou gosto me fazia sentir náuseas. Na verdade, eu estava torcendo para isso acontecer com doces! Eu como muitos doces, sou uma formiga. Estava torcendo para durante a gravidez ser o contrário, sentir náuseas com doces, mas infelizmente isso não aconteceu!

De forma geral, meu primeiro trimestre da gravidez foi bem tranquilo. Sempre me lembro de uma frase que minha ginecologista falava para mim: gravidez não é doença. Não dá para parar a vida só porque estamos grávidas. O foco é o bebê, claro, mas a vida, os compromissos, o trabalho, os projetos continuam!

 

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE