O Sono do Bebê

Acasos do destino, justo na noite em que coloquei o vídeo sobre o sono do bebê em nosso canal do youtube, foi a noite mais difícil para Nicolas dormir! Eu falava para ele: “Nicolas, mamãe acabou de colocar no youtube um vídeo falando que você dorme bem, dorme bastante…”, e ele se manteve super agitado, só dormiu depois da meia noite. Nesta noite foi a mesma coisa, super inqueito, dengoso e choroso como nunca foi, custou a dormir. Acho que são os dentes já coçando a gengiva, ele está parecendo incomodado. Mas nem por isso considero que ele dorme mal. É como comentei outro dia no Instagram, nunca tive a expectativa de criar um robô que durma “X” horas programadas, eu crio um bebê, não um robô!

Falar do sono é difícil, porque cada mês é diferente. No primeiro mês, esquece, a privação de sono é total para a mãe. O bebê dorme muitas horas, porém acordando de 2h30 em 2h30 (no meu caso) para mamar – não existe mais do que 2-3h seguidas de sono para a mãe, é muito difícil.

A partir do segundo e terceiro mês, Nicolas passou a dormir bem. Lembro do primeiro dia em que isso aconteceu, com 89 dias de vida ele dormiu 9 horas seguidas! Foi maravilhoso, me senti no céu! E quem acordou primeiro nem foi ele e sim eu, com os peitos explodindo de leite.

Cada mês é uma história. Agora, entre os 5 e 6 meses, ele costuma dormir lá pelas 22h, acorda lá pelas 5h30 ou 6h para mamar, dorme em seguida, depois mama novamente lá pelas 7h30 e volta a dormir até às 10h da manhã. Para mim tem sido uma delícia – depois da mamada das 07h30 eu levo ele pra minha cama e a gente fica abraçadinho e dormindo mais um pouco juntos, é a coisa mais cheia de amor que existe.

Para mim o segredo foi levar o assunto com leveza. Esqueçam seguir fórmulas de livros com “regras” de como dormir. Bebês choram, querem dormir no seu colo, acordam quando são colocados no berço, isso tudo é normal. Sei que tive muita, mas muita sorte porque Nicolas não teve um dia sequer de cólica – o que faz toda diferença no sono do bebê e dos pais. Mas fora isso, o resto é levar o assunto com leveza, entender que o bebê precisa do seu aconchego, do carinho e proteção dos pais, que vai acordar quando sentir fome, calor, frio, desconforto. Ele é um bebê, está aprendendo a viver e quem tem que se adaptar à nova rotina somos nós, e não o bebê à rotina dos pais já adultos. No vídeo conto um pouco da rotina do sono aqui em casa e do que acho importante sobre o assunto.

Ainda há muito mais para conversar sobre o assunto, então se tiverem comentários, experiências de vocês, dúvidas, podem deixar nos comentários. Assistam o vídeo abaixoe não esqueçam de se inscrever no canal do youtube – quem é inscrito fica sabendo antes dos vídeos.

Relações profissionais

Site da especialista Mommy in Bloom: mommyinbloom.com.br
Site do livro Bésame Mucho: editoratimo.com.br

CONVERSE COM A GENTE